Agronegócio

Exportações de algodão devem ser as maiores da história

0
Colheitas já foram encerradas e as algodoeiras já iniciam beneficiamento do produto (Foto: Divulgação)

O novo relatório do Rabobank indicou que as exportações de algodão do próximo ciclo devem ser as maiores da história. O texto indica que as colheitas já foram encerradas e as algodoeiras devem começar as atividades de beneficiamento do produto para vender para a indústria. 

“Com a colheita da safra 2018/19 de algodão finalizada no Brasil, nos próximos meses, são as algodoeiras que intensificarão as atividades para beneficiar a produção recorde do país – estimada em 2,7 milhões de toneladas de pluma. Impulsionadas por esse elevado volume, taxa de câmbio e o quadro de Guerra Comercial entre chineses e americanos, as exportações brasileiras também devem ser as maiores da história – 1,5 milhão de toneladas nesse ciclo – consolidando o país como o segundo principal exportador mundial, atrás apenas dos EUA”, comenta o Rabobank. 

Nesse patamar de exportações, a logística será o principal desafio do setor, uma vez que nos últimos anos praticamente todo o escoamento da produção brasileira foi efetuado pelo Porto de Santos. “Sazonalmente e pela capacidade de Santos, o volume exportado reduz a partir de fevereiro e volta a retomar somente em setembro (com a nova safra) – esse movimento deve ser suavizado esse ano com a possibilidade de alongamento da janela de exportação. Além disso, alternativas pelos portos do Arco Norte também devem ser testadas a partir deste ano, dado o volume recorde de exportações”, completa. 

“O grande obstáculo para o cotonicultor brasileiro fica por conta do cenário de preços mais desafiador que antecede o cultivo da safra 2019/20. Em setembro/17, os contratos futuros (ICE-NY) para dezembro/18 apontavam para USD 0.70/libra-peso”, conclui. 

Fonte: Agrolink

Governo indiano lança aplicativo para agricultores

Previous article

MS tem 4 municípios entre os 5 maiores produtores de eucaliptos do país

Next article

You may also like

More in Agronegócio

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *