Pecuária

Equideocultura ganha mercado em Mato Grosso do Sul

0
Indústria do cavalo emprega seis vezes mais do que a indústria automobilística no país (Foto: Divulgação)

O Estado de Mato Grosso do Sul é um dos maiores criadores de equídeos da raça Quarto de Milha do país. De acordo com a diretora-técnica do Sistema Famasul – Federação de Agricultura e Pecuária de MS, Mariana Urt, “o cavalo sempre foi indispensável para o agronegócio brasileiro. Até hoje, ele é fundamental no trabalho das fazendas, no pastoreio do gado do Pantanal. Além do trabalho, os cavalos são utilizados para esporte, lazer e saúde”.

Mesmo com a automação promovida pela tecnologia, inclusive no campo, a indústria do cavalo emprega seis vezes mais o que emprega a indústria automobilística no país. São 3,2 milhões de trabalhadores no setor, entre empregos diretos e indiretos, que movimentam um montante de R$ 7,3 bilhões ao ano. Os dados são do Estudo do Complexo do Agronegócio Cavalo, realizado pela Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo.

Em Mato Grosso do Sul, de acordo com o último levantamento da IAGRO – Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal de Mato Grosso do Sul em 2018, existem cerca de 443 mil cabeças de equídeos, sendo o município de Corumbá líder com aproximadamente 46,6 mil cabeças.

Mariana Urt ressalta a vocação do estado para as provas funcionais e a importância da qualificação da mão-de-obra. “Mato Grosso do Sul tem se destacado nos esportes equestres como laço comprido, apartação, três tambores entre outros. Proporcionalmente a exigência por mão de obra qualificada aumenta. Nesse sentido, o Senar tem atuado intensamente com cursos de capacitação como por exemplo: doma racional, rédeas e casqueamento”, explica.

Fonte: Famasul

Produtores devem apresentar Declaração do Imposto Territorial Rural até 30 de setembro

Previous article

Erros no intestino da vaca diminuem rendimentos

Next article

You may also like

More in Pecuária

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *